Fernando Vinícius – jornalista Decom PMP

Planejar ações que geram emprego e renda é uma das marcas da gestão Terra do Desenvolvimento e da Cultura. Em diferentes setores da administração pública, Penedo avança positivamente e um dos melhores exemplos é a Feira da Agricultura Familiar promovida pela Secretaria Municipal de Abastecimento e Desenvolvimento Agrícola (Semada).

O projeto que leva alimentos agroecológicos para a mesa das famílias penedense melhorou a qualidade de vida de centenas de pequenos produtores rurais. Orientados para formalizar negócios e melhorar o plantio de frutas, legumes e verduras, agricultores se tornaram fornecedores e comerciantes, ganhando em produtividade e lucro.

A colheita deixou de ser adquirida apenas por atravessadores, a preço abaixo do valor de mercado, porque a Semada também viabiliza o transporte dos produtores e seus responsáveis, do campo para a cidade, nos dias da Feira da Agricultura Familiar.

“Há um ano, a gente não estava nem produzindo por conta da dificuldade de vender. Hoje a nossa realidade é outra, temos mais qualidade e produção, conseguimos aumentar área de plantio, participamos de chamadas públicas e estamos diversificando a produção”, comemora Jean Pereira, presidente da Associação dos Moradores do Povoado Sítio Nazária, agradecendo o empenho do governo Marcius Beltrão/Ronaldo Lopes e do Secretário Manoel Messias.

Semada Penedo amplia a inclusão de produtores na Feira da Agricultura Familiar

Mais alimentos

O êxito do trabalho da Semada é percebido assim que os agricultores começam a arrumar os alimentos nas bancas. Posicionados lado a lado, na maior praça do bairro Santa Luzia (Barro Duro), os produtores começam a atender a freguesia que não demora a aparecer, clientes que em breve terão mais opções de compra.

“Nós vamos colocar 40 bancas na Feira da Agricultura Familiar, hoje são 33, mas existe uma demanda crescente por parte dos agricultores e estamos procurando atender da melhor forma”, explica Genildo Gomes, um dos servidores da Semada diretamente envolvidos no projeto cuja primeira edição aconteceu em novembro de 2018, com 25 pequenos produtores rurais.

A variedade e a qualidade dos alimentos atraem moradores até de outros bairros, como José Martins dos Santos, mais conhecido como Zé da Antena. Ele veio da Vila Matias só para comprar bolo de macaxeira e inhame. “Isso aqui é ótimo, semana que vem eu vou comprar de novo, lá na Cohab”, disse o cliente conhecedor do sistema de revezamento semanal de local de comercialização dos produtos.

Semada Penedo amplia a inclusão de produtores na Feira da Agricultura Familiar

Mais feira

O sucesso do trabalho desenvolvido pela Semada é comprovado por solicitações para a realização da feira em outros bairros de Penedo. “Nós estamos avaliando essa situação porque precisamos saber qual é o impacto para as feiras fixas que temos, aqui no Barro Duro e no centro da cidade, e também para os próprios agricultores que participam da Feira da Agricultura Familiar”, explica o Secretário Manoel Messias, o Messias da Filó.

O gestor que é funcionário aposentado da Embrapa – e não Emater, como informamos antes por equívoco – e um dos mais antigos empresários do comércio penedense em atividade destaca que a elaboração do projeto que gera emprego e renda para o homem do campo levou em conta erros e acertos cometidos em outros municípios.

“Estamos avaliando também a possibilidade de fazer duas vezes por semana, ampliando o atendimento à população com a feira itinerante, mas tudo isso com muita responsabilidade para não colocar em risco um programa que tem nossa atuação do início ao fim. Nós começamos com o agricultor na roça, melhorando a assistência; orientamos o pessoal para fornecer alimentos para o governo, seja pelo PNAE, PAA e mais recentemente na chamada pública do Ifal, outra ação inédita para o trabalhador rural de Penedo; e ainda viabilizamos a venda direta ao consumidor, beneficiando quem produz alimentos sem agrotóxicos, o que significa alimento de qualidade para o povo de Penedo”, destaca Messias Lima, frisando o apoio do Prefeito Március Beltrão e a parceria da Semada com a Emater e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).