Prefeitura de Penedo realiza reunião sobre o projeto piloto PGS Medical

O projeto Piloto PGS Medical está sendo instituído em Penedo por meio da Secretaria de Saúde e do ICT- Instituto de Ciência e Tecnologia, sendo implantado pela empresa GoBox. Com o objetivo de apresentar o projeto e os resultados já obtidos, uma reunião foi realizada com pacientes crônicos da rede municipal de saúde.  Participaram da reunião no auditório do Sindspem, o Prefeito de Penedo Marcius Beltrão, o Secretário de Saúde Pedro Madeiro, outros secretários municipais, o Diretor da GoBox Wagner Marques, funcionários públicos, profissionais da área da saúde, entre outros.

O projeto é definido como um Centro Altamente Resolutivo-CAR localizado dentro de um PSF, gerenciado por um programa de tecnologia e inovação utilizando algoritmos de inteligência artificial em desenvolvimento de protocolos dos cuidados em saúde, através da avaliação e monitoramento dos resultados encontrados.

O Prefeito de Penedo Marcius Beltrão afirmou que a implantação desse projeto foi possível através da lei 13.243 que trata sobre a inovação e tecnologia nos municípios brasileiros, possibilitando a implantação de um ICT- Instituto de Ciência e Tecnologia, para a inovação tecnológica em Penedo.

“4% da população brasileira sofre de doenças crônicas, provocadas muitas vezes por hábitos diários. Com esse projeto, melhoraremos a qualidade de vida das pessoas, enfermeiras farão um acompanhamento especial dos pacientes crônicos, identificados com riscos de terem complicações recorrentes da doença, diminuindo assim o grau de debilidade deles”, destacou.

O diretor da GoBox Wagner Marques, explicou para os presentes as questões técnicas referentes ao projeto e a forma como está sendo implantado em Penedo, onde 30 pacientes foram selecionados até o momento e acompanhados constantemente por enfermeiras do projeto.

Também está sendo implantado um software desenvolvido pela empresa, que será utilizado no acompanhamento da população usuária do sus, onde a partir daí, os doentes crônicos, terão acompanhamento constante para que não piorem, e assim não mais precisem se dirigir até a Unidade de Pronto Atendimento- UPA, dando mais qualidade de vida aos usuários do SUS e também economizando para os cofres públicos.

Os dados apontam uma redução de 89% nos atendimentos da UPA referente aos pacientes que já estão sendo acompanhados pelo projeto. A meta é gerenciar até novembro de 2019, 1300 pacientes crônicos da rede municipal de saúde e que possuem risco de sofrerem complicações.