A cidade de Penedo foi escolhida para ser o cenário das gravações do curta-metragem Vaudeville, na semana em que completa 383 anos de elevação à categoria de vila.  As gravações tiveram início na manhã da última segunda-feira (8), no recém-restaurado Chalé dos Loureiros e seguem até o próximo dia 15 em diversos pontos turísticos e históricos de Penedo. As gravações e produção do curta-metragem contam com o apoio da Prefeitura de Penedo e nas filmagens com a participação de 70% da equipe local incluindo os atores, entre outros profissionais penedenses.

A direção do curta-metragem, que tem duração de 20 minutos, é do Roteirista e Diretor de Cinema e Publicidade Alagoano Radicado em São Paulo desde 1991, Élcio Verçosa Filho. O curta-metragem está sendo rodado em 35mm, que é um formato de película cinematográfica, muito utilizado na gravação de filmes pela qualidade peculiar.

O filme se passa no final dos anos 40, contando a historia de Palhares, um escrivão aposentado e relativamente endinheirado que casa-se com a jovem viúva de um colega recém-falecido.  Na historia, o personagem se casa, mas não consegue consumar o casamento, cultivando uma desconfiança obsessiva em relação à jovem esposa e a um engomado amigo que a corteja.

De acordo com a sinopse do filme, o personagem é movido ao mesmo tempo pelo desejo e a desconfiança, perseguindo por toda parte a mulher que resiste em ser sua.  Vaudeville é Narrado em esquetes e sem diálogos, com a intenção de recuperar, por meio da linguagem, do tema e da atmosfera, algo da essência desse primeiro e contraditório momento do cinema, ao mesmo tempo vulgar e único, “barato” e vertiginoso.

Para a Produtora executiva do filme Adriana Manolio, paulista radicada em Maceió, o filme está sendo gravado Penedo, por conta das belezas arquitetônicas e naturais da cidade, aliadas a memoria afetiva do diretor Élcio Verçosa Filho. Ela destacou o apoio da Prefeitura de Penedo na logística para produção do filme.  Também ressaltou o fato de estarem usando uma câmera 35 mm que grava em película, para as gravações, o que tem se tornado difícil no Brasil pelo alto custo, onde as produções atuais em 95% dos casos migraram para o formato digital.   

O diretor do filme Élcio Verçosa Filho afirmou que a realização desse curta-metragem, também é uma homenagem a cidade de Penedo.

“A realização desse filme também é uma homenagem a Penedo, ao amor que tenho por essa cidade, sou de Maceió mais desde sempre tenho vindo aqui, durante muito tempo com meu falecido pai, visitado o Rio são Francisco e a cidade que sempre me encantou. Agradeço a todos os penedenses que nos receberam de braços abertos, a começar pelo Prefeito Március Beltrão e a Secretária de cultura Aline Costa e também a todo mundo que está nos ajudando a tocar esse projeto”, declarou.