A Secretaria municipal de Educação realizou nas ultimas terça e quarta feira, 12 e 13 de março respectivamente, um simulado no âmbito do programa Escola 10, das disciplinas Português e Matemática tendo como foco o SAEB-Sistema de avaliação da Educação Básica, que é utilizado pelo Governo Federal para mensurar a qualidade de ensino das escolas, servindo também como parâmetro para a nota do IDEB- Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

De acordo com a Coordenadora do Programa Escola 10 em Penedo Keith Guimarães, a aplicação do referido simulado servirá também como preparação para Prova Brasil, sendo realizados nas zonas urbana e rural do município de Penedo, avaliando antecipadamente o nível de conhecimento dos alunos do 5º ao 9º do ensino fundamental.  

“O simulado também permitirá nortear a formação dos professores e também traçar um diagnóstico dos conhecimentos dos alunos, incentivando a aprendizagem naquelas áreas de maior dificuldade”, destacou a Coordenadora.

Keith Guimarães também explicou que trabalharam para a realização do simulado nas disciplinas língua portuguesa e matemática, 100 profissionais, estando entre esses diretores escolares, coordenadores e articuladores de ensino, para assim treinar os alunos, para se familiarizarem com o perfil da prova e também com o preenchimento do gabarito, ao qual os mesmos poderiam apresentar dificuldades por tratar-se de algo novo para eles. Cerca de 1000 alunos participaram da avaliação simulada.

A Coordenadora destacou também que a Semed trabalha com o foco na qualidade da educação, para garantir a proficiência dos alunos e também instrumentalizar os professores nessa tarefa.

Para a Secretária municipal de Educação Cintya Alves o uso do simulado sistematizado é mais uma ferramenta para diagnosticar pontos que o município possa dar continuidade ou melhorar no processo de ensino-aprendizagem no município de Penedo.

Vale salientar que para os alunos com deficiência, que fazem parte da modalidade Educação Especial do município, foram adotadas todas as medidas necessárias para os mesmos pudesse fazer a prova simulada em igualdade de condições, a exemplo do aumento do tamanho das letras para aqueles com pouca visão e uso de interpretes de libras, para aqueles alunos com deficiência auditiva.