O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Penedo, Pedro Soares, esteve em missão técnica durante a última semana de julho, visitando os municípios mineiros de São Roque de Minas e Capitólio. As duas cidades já viveram uma queda drástica no número de habitantes e passaram a investir fortemente no trade turístico e na fomentação da economia a partir da produção de queijo artesanal, sendo o carro chefe dos produtos de laticínio, o queijo canastra, patenteado e com o quilo custando em média R$ 100 reais.

Para Pedro Soares os município mineiros são exemplos de como podemos superar a crise e driblar as dificuldades a partir da inovação, sendo necessário que haja por parte do poder público o investimento necessário para o incentivo à produção e a reorganização da logística de escoamento dos produtos no caso de produção de gêneros tipo exportação ou de infraestrutura condizente com o público que pretende ser atraído através da oferta do turismo de lazer e aventura, no caso de Penedo, ele destaca o turismo de lazer e religioso com foco no passeio pelo belo Centro Histórico da cidade para um chá de encanto e encontro com as águas do Velho Chico o belo casario que dá tom único à arquitetura penedense.

O Secretário informou que ao lado de representantes de outros municípios alagoanos, participou de várias atividades voltadas ao conhecimento das boas práticas da administração pública. Em Capitólio os gestores dos municípios alagoanos foram recepcionados pelo prefeito Zé Eduardo, que falou sobre o projeto das gestões 2013/2016 e 2017/2020. Outros palestrantes ainda falaram sobre a regulamentação do turismo, projetos de compras governamentais, Sala Mineira do Empreendedor e prêmio Prefeito Empreendedor.

“Tivemos a oportunidade de conhecer algumas fazendas da região, entre elas o Parque Serra da Canastra e nascente do Rio São Francisco, onde durante todo o ano o turismo é explorado, gerando emprego e renda para o município. Temos grande potencial na região do Baixo São Francisco e devemos potencializar o turismo não apenas esperando por ações do poder público, mas, buscando parcerias público/privadas para que a soma de forças possam gerar desenvolvimento e economia através dessa indústria sem chaminé que é o turismo”, finalizou Pedro Soares.