A chegada do inverno alinhada à época junina onde a fumaça entra sem permissão nas casas e ainda a falta de cuidado com o manuseio de fogos de artifício e a prática de acender fogueiras em homenagem aos santos da época, fazem com que muitas pessoas necessitem de atendimento médico e cuidados que são prestados pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que passa a ser a porta de entrada para qualquer outro seguimento no tratamento do paciente.

Com a mudança climática e a fumaça muitos pacientes registram entrada na UPA com problemas alérgicos. O número de atendimentos praticamente dobra nessa época, sendo a maioria dos pacientes, muitas vezes em sua totalidade, casos clínicos, onde são medicados e permanecem durante algum tempo em observação para ser acompanhada e verificada a estabilização do quadro ou a necessidade de transferir para o Hospital Regional de Penedo ou outra rede hospitalar.

A Coordenadora de Urgência e Emergência, Camylla Ataíde Rezende, lembra que os casos de queimadura esse ano tiveram significativa queda, revelando que as pessoas estão mais atentas aos cuidados necessários quando manuseiam fogos ou acendem fogueiras. Já os casos respiratórios são os que mais registram entrada na UPA, chegando a dobrar o número de atendimentos se comparado aos meses anteriores.

 “É bom lembrar que toda a equipe da UPA está de plantão seja nos dias de jogo da seleção ou festas juninas. O nosso arraiá é aqui com nossa equipe alerta para atender a população penedense e da nossa região”, finalizou Camylla.